Se 2017 foi o ano de respirar, 2018 será para crescer

 

As micro e pequenas empresas paulistas encerraram 2017 com alta de cerca de 5% no faturamento real e geração de quase 100 mil novos postos de trabalho. O otimismo com o futuro também aumentou: quase 40% acreditam que o faturamento aumentará nos próximos meses e 44% apostam na manutenção da receita.

O setor industrial também deu sinais positivos. Segundo o Indicador do Nível de Atividade (INA) da Fiesp, após três anos de produção em queda, a indústria paulista cresceu 3,5%. Os empresários do setor também estão otimistas e, pelo 10º mês consecutivo, registraram expectativa positiva em relação à produção.

Se 2017 foi para respirar, 2018 é o ano para crescer, produzir e transformar. É o que tenho ouvido de empreendedores de todo Estado, como a Daniela Juncioni, de Aguaí. No ano passado procurou o Sebrae-SP. Ela não queria deixar sua farmácia de manipulação sucumbir à crise. Fez um checkup da empresa e recebeu consultoria especializada em finanças. Colocou em prática as melhorias em controle e administração geral da empresa e aumentou em 20% seu lucro. Reinvestiu na empresa, ampliou as instalações e empregou mais dois funcionários. O esforço valeu a pena.

Muitos outros empresários também estão fazendo sua parte, melhorando gestão e produtividade. Um sinal claro disso é o aumento da procura de informações e consultoria em nossos postos de atendimento, site e 0800 nos primeiros 40 dias do ano. No Sebrae-SP estamos de olho nesse movimento e, até abril, vamos inaugurar mais 50 postos de atendimento, ampliando a rede para 250 unidades, que vão cobrir 90% da área do Estado.

O governo federal, por sua vez, também tem apontado no caminho certo, com estabelecimento do teto de gastos públicos, a modernização da legislação trabalhista e a ampliação do Simples. Para melhorar ainda mais o ambiente de negócios, temos que lutar pela aprovação das reformas previdenciária e tributária, pela redução das taxas de juros e pelo barateamento do crédito.

Também faz parte desse conjunto de medidas benéficas a aprovação do plano de renegociação de dívidas tributárias, o Refis, para as micro e pequenas empresas.  Trata-se de uma questão de isonomia e justiça, com apoio a empreendedores que querem reorganizar seus compromissos tributários, resolver suas pendências e ganhar novo fôlego para produzir e gerar empregos.

Sou a favor do Refis para os pequenos negócios, das reformas estruturais e de tudo que descomplique e desonere o dia a dia do setor produtivo. Por isso, vou continuar trabalhando para deixar o caminho livre para empresários como a Daniela, que geram saldos positivos para sua empresa e sua comunidade, levando o Brasil de volta ao eixo do crescimento.

Paulo Skaf

Presidente do Sebrae-SP

CompartilheShare on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Conteúdo Relacionado

Deixe seu comentário

Existe um outro caminho para São Paulo.

Conheça as ideias de Skaf para São Paulo. Compartilhe. Participe. São Paulo precisa de todos nós. #ExisteUmOutroCaminho. #SkafGovernador